segunda-feira, 28 de julho de 2014

Lugares que eu quero conhecer

Oi pessoal!

O Mês de Julho foi o mês de férias para a maioria das pessoas. E junto com a alegria de tirar férias, vem os planos de viajar e conhecer lugares novos. Bom, o mês está acabando e eu vim aqui listar alguns lugares para conhecer nas próximas férias - ou em algum feriado prolongado.


Mas é claro que eu não poderia responder esse meme como uma pessoa normal, porque eu não sou normal e os lugares que eu quero conhecer, menos ainda. (numerados por ordem de sanidade - ou não)


10 - Paris

Imagem encontrada no Tumblr

Paris é um sonho dourado *-*. Apenas. Fim.
São milhares de livros, filmes e seriados com esse cenário e eu me imagino em cada um dos personagens que já conheci e que já passearam em Paris. Falando com sotaque, biquinho e tudo o mais. Eu quero e acabou! 
Ps: Não me leve a sério, me leve á Paris!


09 - Londres

Imagem encontrada no Tumblr

Pelos mesmo motivos de Paris. São milhares de livros, filmes e motivos. Quero dez mil fotos lá. Quero andar nos ônibus vermelhos, quero ir, especialmente em  Notting Hill, porque, gente, é muito amor! Mas também quero ir no museu Sherlock Holmes na Baker Street, no studio Warner para o The Making of Harry Potter, na Oxford Street gastar todo meu dinheiro de rapaz trabalhador, na London Eye (de longe, porque tenho medo), no Big Ben, ver a troca da guarda no palácio de Buckingham... Olha, a lista NÃO vai acabar se eu começar a falar!


08 - País de Gales

Daqui

Na costa do país de Gales, existem ilhas. E numa dessas ilhas, existe um orfanato fantástico que eu daria tudo para conhecer. A imagem acima é a que mais se aproxima do que imaginei quando li O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares (resenha aqui) fiquei alucinada para fazer que nem o personagem principal e ir lá explorar!


07 - Barcelona

Encontrada no site Iberic Tour

Barcelona é o palco preferido para o Carlos Ruiz Zafón escrever suas histórias. A história do livro "A Sombra do Vento" se passa em Barcelona e desde que eu li (você pode ler a resenha aqui) fiquei apaixonada e sonhando em conhecer. Principalmente o Bairro Gótico. Fico imaginando as centenas de fotos incríveis que farei lá ♥ 
Claro, alimento na mente insana que vou encontrar o Cemitério dos Livros Esquecidos por lá. E para quem não leu, eu imagino um lugar mais ou menos assim (só que com menos drama):


dos meus arquivos, desconheço autoria


06 - Storybroke

Daqui

Não quero explicar esse, mas como meu terapeuta não me segue (até porque esse adorável senhor não existe) ta permitido dizer que: como não querer conhecer um lugar onde moram a Evil Queen, Snow White, Capitão Hook, Bela, Robin Hood e tantos outros? E de quebra, com a chance de cair na Floresta Encantada se algum portal for aberto? *-*
No seriado Once Upon a Time, Storybroke é uma cidadezinha linda e vintage, na costa nordeste da Nova Inglaterra. Fora do seriado, fica no Canadá, em Steveston Village.
EXISTE! Óbvio que eu quero ir lá. A Carol do blog Flickablog.com mora em Vancouver e foi lá conhecer. E, apesar de "inveja" ser uma palavra muito feia, não tenho como usar outra. Me roí de inveja até os cabelos  hahahaha


05 - Neverland

Reprodução

Não, mentira, Neverland não queria não.

Por motivos de: eu não quero ser criança pra sempre, estou ok com essa questão e Once Upon a Time mostrou uma versão não tão convidativa de Neverland e eu não tô afim de arriscar.


04 - Wonderland

Arquivo pessoal / Foto-Divulgação

Aí sim! Não precisa nem de passaporte ou visto, a viagem é feita através da toca de um coelho.
Wonderland é o lugar mais no sense que eu consigo pensar - como não querer conhecer um lugar no sense?
Comida típica: tem pra crescer e encolher. Fora que é sempre hora do chá!
Cogumelos gigantes, rosas que falam, um Gato risonho e um Chapeleiro Louco?
Os moradores locais são todos loucos e louco atrai louco: as melhores pessoas são!
Obvio que eu quero ir pra lá!


03 - Cidade de Esmeraldas

Reprodução

A Cidade de Esmeraldas, fica em Oz. Essa eu não precisaria nem de um mapa. Não tem erro, é só seguir a estrada de tijolos amarelos *-*


02 - Nárnia


Arquivo pessoal / Foto - Divulgação


O primeiro que me chamar de lunática apanha! É claro que Nárnia existe. Nárnia acontece! Eu vou pra lá um dia e juro que não vou ser besta de voltar ♥ Quero uma passagem só de ida!
E se você não acredita, sinto muito, mas você nunca conhecerá Nárnia *-*


01 - A Fantástica Fábrica de Chocolates

Reprodução

Uma pausa no "pense magro" para pensar gordo, muito gordo: quem não queria conhecer esse lugar maravilhoso? Eu queria MORAR na fábrica Wonka. Vou declamar uma poesia, prestem atenção: CACHOEIRA-DE-CHOCOLATE. Se emocionaram? Eu sempre me emociono quando escuto isso.




Este post faz parte da blogagem coletiva do Rotaroots.
Quer participar?
Conheça o nosso grupo no Facebook
e inscreva-se no Rotation.

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Em nome dos Imortais



Eu não queria estar escrevendo isso. Não queria mesmo. Julho de 2014 tem sido um mês difícil e cruel.

Eu ia escrever sobre João Ubaldo e antes que começasse fui surpreendida pela morte de Rubem Alves.
Fiquei tão triste que não quis mais escrever nada. E então Ariano Suassuna apronta uma dessas...
Desde que soube a noticia ate agora, estou meio sem acreditar.
Não vou falar da importância desses três caras, nem de suas obras e nem o quanto a literatura perde com a partida deles. Eu me reservo apenas ao direito de ficar triste.
Cada leitor tem em seu autor preferido um amigo, mesmo que nunca tenha sequer visto ou esbarrado com ele em toda a vida.
"Eu gosto muito de rir e gosto de fazer rir. E nisso sinto que o povo brasileiro é meu companheiro." 
Ariano Suassuna
Eu tinha esperanças de um dia, em uma Bienal qualquer, esbarrar com Ariano e pedir a ele um rabisco em um dos meus livros. Dele, mas meus. Queria ter a oportunidade de dizer o quanto sua obra me fez feliz, o quanto me diverti com seus personagens, o quanto gostei um pouco mais dele a cada declaração ou entrevista que via.

Quanto ao João, não fomos grandes amigos  nessa vida. Confesso que mal o li. Mas não deixo de sentir sua perda por conta disso. Quando um escritor parte, ficamos órfãos do que ele ainda teria a escrever. Quantas ideias, quantos personagens e romances partem junto a ele? Jamais saberemos. Isso multiplica a sensação de perda. Dói fundo na alma de um leitor.
Mas e Rubem? Rubem, sempre tão querido. Sua ausência é uma lástima irreparável, Rubem! Sempre tão carinhoso em seu falar, tão terno e tão humano... O mundo precisa de mais mineirinhos como ele. Como todo bom mineiro, era quietinho, na sua, sem afetações e alardes.
Dizia que chegou onde chegou porque tudo que planejou deu errado, vejam só!
Foi com Rubem que aprendi uma das lições que me fizeram crescer muito como pessoa: "Ostra feliz não faz pérola". Acho linda a comparação que Rubem faz com a formação da pérola, para nos explicar que é a partir do sofrimento que crescemos. A pérola é um parasita externo ou um grão de areia que invade e machuca a ostra. Para se defender, a ostra o envolve com uma substância chamada madrepérola, que cristaliza-se e isola o invasor dentro de uma bolota rígida. A ostra, quando produz uma pérola, na verdade está lidando com um incômodo. Desejei a sabedoria de transformar os meus incômodos em pérolas também.
"A saudade é a nossa alma dizendo para onde ela quer voltar."
Rubem Alves
Agora, você Ariano... não consigo me conformar com sua partida.
Ainda não consegui ler A Pedra do Reino por completo, mas li seu Auto da Compadecida umas três vezes. 
E nem sei dizer quantas vezes revi a adaptação para o cinema.
Você disse que não trocaria seu "oxente" pelo "ok" de ninguém e nós também não trocaremos, mestre. Se eu posso deixar aqui alguma homenagem, é em favor do seu legado.

Tem tanta gente que em nada nos acrescenta, que pelo contrário, nos subtrai... Tanta gente contribuindo para causas pequenas, tanta bobagem, tanta desgraça...
Deus, às vezes, nos presenteia com pessoas que deixam o mundo melhor. Pessoas que trazem, sabe-se-lá de onde, sua sabedoria e alegria para dividir com o resto de nós.
Gente como Rubem que trazia sempre uma palavra de conforto ou como João que com sua baianice nos deliciava com seu humor. Gente como Ariano, que achava a tarefa de viver dura e fascinante.
Gente que cisma em ser uma luz no meio de tantas trevas, gente que teima que a vida pode ser boa, pode ser melhor e pode ter poesia. Gente que fala o que sente para que a gente entenda o que sente também. Não importa se sentimos igual ou diferente.
Tem gente, que nunca vimos na vida (e nunca veremos), mas que sentimos que nos abraçam a alma.
Tem gente que nasce para ser imortal, embora com essa mania de partir antes do que deviam. 
Uma vez, aprendi que só morre quem não deixa saudades. Muito mais do que saudades, João, Rubem e Ariano deixam suas palavras, sua arte e genialidade para nos confortar da saudade.
Escritores não morrem nunca!
Eis aqui nosso consolo e minha singela homenagem.

"Cumpriu sua sentença e encontrou-se com o único mal irremediável, aquilo que é a marca de nosso estranho destino sobre a terra, aquele fato sem explicação que iguala tudo o que é vivo num só rebanho de condenados, porque tudo o que é vivo morre."
(Auto da Compadecida - Ariano Suassuna)

Para João, Rubem e Ariano
Vão em paz, mestres imortais!

terça-feira, 15 de julho de 2014

7 Anos de Expresso

Encontrada no site Wedinator
Então que no dia 12 de Julho foi aniversário do blog, e
Caramba... 7 anos! 

Não vou me alongar no post, porque já falei muito sobre o blog aqui.
Estou satisfeita de momentos nostálgicos por enquanto.
Hoje eu vim só comemorar e é claro, agradecer a vocês que continuam aqui ♥


 Obrigada por tudo, pessoal ♥





quinta-feira, 10 de julho de 2014

5 Coisas para fazer no Inverno


Eu acho que o título certo para esse post, deveria ser "05 Coisas que eu faria SE na minha cidade tivesse inverno". Porque olha, não tá fácil! Estou desde aquele verão-caldeirão-dumal esperando ansiosamente pelo inverno e ele não chega. Bem se sabe que no Rio de Janeiro só existem duas estações: Verão e Inferno.
Para não ser totalmente injusta, ok, o clima amenizou. Mas amenizar não é o mesmo que fazer frio.
Vejam vocês: não tirei nenhum casaco para uso até hoje :'(
Mas voltando ao assunto, além de chocolates, bebidas quentes, sopas e todas as gordice possíveis e imagináveis no inverno, vou listar o que eu acho indispensável para curtir essa estação. Vamos lá!

01 - Fazer uma viagem!



Se você é do Rio de Janeiro (que nem eu) e deseja curtir o inverno (como eu), sugiro que você faça uma viagem. Não precisa nem ser para outro estado. Eu gosto muito de ir passar friozinho em Miguel Pereira, Petrópolis. Também faz frio em Teresópolis, Paty de Alferes, Itaipava... Ou seja: sobe a serra colega, o frio gostoso lindo-duamor está lá!


02 - Edredom + Filme/Seriado + Chocolate Quente



Não consigo pensar em nada melhor do que essa combinação para os dias friozionhos em casa. Eu adoro, ADORO edredons, cobertores, cobertas fofinhas e pijamas de flanela. Se estiver frio e eu estiver em casa, esse é meu primeiro pensamento. É um bom momento para colocar aquele seriado em dia, ver aquelas indicações de filmes que você nunca consegue assistir ou até começar a assistir um seriado novo ♥
Amo!


03 - Degustar um bom vinho


Eu até acho que "vinho" e "inverno" são sinônimos sabiam? Um bom vinho, bem acompanhado de uma boa pessoa (hahaha) fazem qualquer coisa valer a pena. Só acho. Eu ia colocar comida, comer e comer. Mas olha, acho o acompanhamento com vinho a melhor parte .


04 - Encontrar os amigos


Pode ser um foundue, pode ser jogo de cartas, pode ser festa, pode ser filme, pode ser bar, pode ser jantar... pode ser o que for! Encontre seus amigos e have a fun! Você precisa esquentar sua alma também, não só o corpo. Amigos fazem isso, aquecem nossos corações! 


05 - Dormir de conchinha


Eu ia dizer que a quinta melhor coisa do inverno, era dormir. Dormir até tarde, até a hora que quiser e depois dormir de novo. Mas melhor que dormir, é dormir de conchinha! Top 01 (apesar de aparecer por último aqui)! Se você puder, faça isso todos os dias. Só isso que eu vou dizer ;)


Bônus (porque isso é para fazer em todas as estações) - Colocar a leitura em dia!



Para a maioria das pessoas, o inverno também é o mês das férias escolares. Sem a correria dos livros didáticos, dos períodos de provas e dos estudos do dia-a-dia, nada melhor do que colocar a leitura em dia. Djavan já dizia né: "um dia frio, um bom lugar pra ler um livro". Mãos a obra!

E vocês? O que mais gostam de fazer no inverno? Conta ai nos comentários, vou adorar saber!



Este post faz parte da blogagem coletiva do Rotaroots.
Quer participar?
Conheça o nosso grupo no Facebook
e inscreva-se no Rotation.


sexta-feira, 4 de julho de 2014

05 Músicas de Elvis Presley


Antes de mais nada, deixa eu explicar que essa não é uma lista de "as cinco melhores" músicas do Elvis. Mesmo porque, eu não seria capaz de escolher cinco. Nem de listar as melhores. Elvis é Elvis (e obviamente, não morreu e jamais morrerá).
Esta é uma lista das cinco músicas que eu mais ouço - do Elvis - ultimamente.
Não tem nenhum motivo especial, apenas fiquei uns dias atrás pensando em montar uma playlist de "Elvis para dançar" mas OH WAIT, BIG PROBLEM: não dá para escolher.
Então fiquei ouvindo algumas coisas e quis dançar essas cinco. Por isso fiquei ouvindo e por isso posto aqui.
Se você não conhece (ou conhece pouco) das músicas de Elvis, eis aqui cinco oportunidades para conhecer e sair do óbvio (ou não).

• Blue Suede Shoes
"You can do anything but lay off of my blue suede shoes"

Essa é uma das minhas preferidas. Você pensa: o cara diz que a mulher pode fazer o que quiser, menos pisar nos sapatos dele. Querem saber a história? A música foi escrita por Carl Perkins em 1955 e foi considerada o primeiro Rockabilly registrado na época.
Durante um show, entre as músicas, Carl ouviu um rapaz brigar com a namorada "uh-uh, não pise nos meus sapatos". Ao olhar para os pés do rapaz, Carl riu pensando "uma moça linda dessas e tudo que ele pensa é nesses sapatos de camurça azul". Taí a música!


• Hound Dog
"You ain't nothin' but a hound dog, cryin' all the time"

Hound Dog é uma canção escrita por Jerry Leiber e Mike Stoller. Um monte de gente gravou, mas é claro, a versão mais conhecida é com Elvis (é a 19ª colocada na lista das 500 melhores canções de todos os tempos da Revista Rolling Stone).


• JailHouse Rock
"Let's rock, everybody, let's rock"

JailHouse Rock é uma música do filme de mesmo nome. A cena desse vídeo faz parte dele e é considerada um dos melhores momentos do filme (eu adoro hahaha). O filme retrata a vida de um jovem transgressor e rebelde (Elvis fez três filmes com essa temática "jovem rebelde". Um é esse Jailhouse Rock, os outros são Loving You e King Creole) que vai parar na prisão depois de matar um homem sem querer. Lá conhece um ex-cantor que o ensina a tocar violão e então tudo muda. :)


• Trouble
"If you're looking for trouble, just look right in my face"

O Vídeo é um pedacinho do filme King Creole (Balada Sangrenta no Brasil) de 1985, estrelado por ele.
Elvis vive um jovem encrenqueiro, briguento e envolvido com gangues enquanto o pai só queria que ele se formasse e parasse de repetir no colegial.
Ele faz bicos de garçom e trabalha como cantor de bares à noite. Maxie Fields (Walter Matthau) é um gângster cruel e depois que Danny (Elvis) enfrenta uns capangas que agrediam uma mulher ("propriedade do gângster), ele tenta humilhar o garçom desafiando-o a cantar no bar. Claro, ele vai lá e arrasa. É essa a cena que vocês viram ali. Sugiro ver o filme por completo ;)


• Johnny B. Goode
"Go go, go Johnny go go go"

Por último,  Johnny B. Goode. Porque sim. Porque Elvis foi mesmo o Rei do Rock. Porque ele não morreu, só cansou da fama. Porque eu gosto e fim :)

Ps: EU acho que toda a discografia do Elvis merece ser ouvida e foi muito difícil fazer esse post.

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Favoritos, Internet Old School e o destino deste blog.

Das piores coisas que podem acontecer conosco, às vezes tiramos algumas ideias.
Às vezes lições ou no menor dos casos, alguma reflexão.
Eu fiquei com a terceira.


Esses dias meu computador parou. Parou mesmo, tela azul. A maioria das coisas importantes estavam/estão no hd externo como backup. Mas faz/fazia mais de um mês que eu não atualizava o backup. E além do sentimento de "aimeudeuseagora", também me deparei com a verdade de que: caramba, não tenho nem cd de um windows qualquer pra tentar reviver esse catiço de computador.
Enfim, me amem, porque eu tô rodeando a história. Poder de síntese, não me ensinaram na faculdade (mentira).

Okay. Eu de fato tenho um amigo que me salva dessas armadilhas de satanás tecnológicas há uns 10 anos.
Meu computador foi pro CTI e voltou lindo e sem sequelas. O problema foi que, um pedido de backup extremamente simples, eu esqueci de fazer a ele: os favoritos do chrome.
Agora é a parte que vocês me xingam. Vou esperar um minutinho.


Já xingaram? Voltando. 
SIM, eu sei que existem apps, programinhas e várias coisinhas que sincronizam favoritos. SIM, eu sei que logando no chrome ele salva essas coisinhas. SIM, eu sei que existem coisas como ICluod e Xmarks e coisas do gênero. Maaaaaaas... quem lembro de usar esses trecos?
De modos que (esse post vai ficar enorme) fui eu catar nos backups onde estava o ultimo que fiz dos favoritos. Encontrei, importei e pra completar, loguei no Chrome pra recuperar o que estava lá. Pandemônio.
E desde então estou vivendo de luz, porque todo meu tempo está sendo consumido na triste constatação que eu tenho um TOC duzinferno e enquanto não organizar toda essa zona, não viverei em paz.

Update: Consegui organizar tu-do. Voltei a viver.

E é agora, que eu vou entrar realmente no assunto desse post.
Há um tempinho atrás, andei organizando minhas inscrições no Bloglovin (saudades eternas GReader), excluindo feeds de blogs que não existem mais, de sites que não me interesso mais.
Quando importei os favoritos antigos novamente, revivi a mesma sensação.
De perda.
Fui olhando uma pastinha de blogs que eu costumava ver e a grande maioria não existe mais. Pessoas que eu realmente gostava, perdidas por ai sem noticias. Uma ou outra, descobri que montaram outro blog. Mas muita gente desistiu.

Não estou querendo dar uma de vovó-da-internet, mas só esse blog já vai fazer sete anos (uau) e ele não foi meu primeiro - então acho que estou apta para usar a expressão "no meu tempo".
Pois bem, no meu tempo, os blogs eram a forma on-line daqueles diários e agendas que as meninas da minha geração costumavam usar. Umas escreviam sobre seu dia-a-dia, outras sobre suas angústias e revoltas, outras escreviam poemas e colavam nas páginas tudo que é tipo de besteiras - ou tesouros. Aquele papel da bala que um bonitinho deu, os ingressos de quando foi no cinema com as amigas, o ticket daquele show imperdível, 3x4 dos coleguinhas, carta da melhor amiga, recortes de revistas (Capricho, Querida - shame on me). Enfim. Os blogs eram como nossas agendas antigas. Alguns blogs eram diários mesmo. Outros não. Tudo dependia do dono da agenda - ops, blogs.

Ninguém ganhava dinheiro, brindes e nem bugigangas para escrever nos blogs. Parceria de blog, era um botton ou banner do blog do seu amigo com link apontando pra lá. Não tinha toda essa separação de blog-de-moda, blog-de-maquiagem, blog-literário. Cada um falava do que desse na telha, do que inspirava, dos problemas ou da falta de inspiração mesmo. O pessoalzinho apelão do "me segue que sigo de volta / comenta no meu que comento no seu" sempre existiram, mas não eram uma maioria, não. A gente ia nos blogs e comentava porque gostava, pra conhecer a pessoa, pra conhecer as pessoas que comentavam lá também. 



Com todo esse tempo de blogs, a única coisa que eu posso dizer com certeza, é que eu sou grata.
Infinitamente grata a todas as leis do Universo que conspiraram para que um dia eu fosse lá e criasse o primeiro blog. Se tem uma certeza que eu posso ter nessa vida, é que conheci pessoas maravilhosas por causa do blog. Fiz amigos que vou levar pro resto da minha vida. Pessoas que são essenciais na minha vida. Alguns que eu conheci pessoalmente depois de algumas trocas de links. Outros que eu conheci através de pessoas que conheci no blog. Já recebi e enviei vários presentes pelo correio (de amigos, não de patrocinadores do blog). Já teve de tudo. Intriga, amizade, barraco e até romance. ~Apaga essa parte~ Alguns inimigos também, não posso mentir. Mas faz parte, não se pode agradar a todos.


Algumas pessoas da família perguntavam porque eu tinha um blog e onde isso iria me levar. Minha mãe mesmo nunca entendeu a importância que poderia ter. A melhor resposta que eu posso dar, é que ter um blog me trouxe o bem mais precioso que alguém pode ter na vida: Amigos! ♥

De comentário em comentário, a gente colocava o link do colega no blog. Depois trocava o msn e conversava. Adicionava no Orkut (antigamente o Orkut era legal, eu juro). Ficava amigo!
Porque gente, avalia só: você lia a pessoa, sabia da vida dela, dos problemas, dava conselhos, às vezes, dividia alegrias... Eu fiz amigos INCRÍVEIS por causa do blog. Inclusive a melhor amiga que eu tenho nessa vida, conheci por causa do blog (beijo Ju, te amo). Fui lá pra São Paulo encontrar ela - amada toda vida!
Minha amiga e mentora no universo da fotografia, também conheci por causa de blogs - hoje é chefinha.
Aliás, várias pessoas fui conhecer pessoalmente e super fazem parte da minha vida. 
São Paulo, Minas Gerais, Porto Alegre, Rondônia: amigos queridos que encontrei pessoalmente que moram nessas cidades. Outros eu ainda vou conhecer. E aqui no Rio de Janeiro, nem posso falar. Pra se ter uma ideia, sou madrinha da filha de uma amiga -muito amada- que conheci por causa dos blogs. 


Mas infelizmente (trilha sonora saudosista), as coisas mudaram muito no mundo dos blogs (que brega dizer isso). Minha queridíssima amiga Nina Vieira, blogueira das antigas que eu leio há anos, disse muito bem em seu blog um pouco desse universo de blogs famosinhos.
Esse boom de blogueiros de sucesso e seus blogs famosinhos-publicitários-trocadores de brindes-fúteis com seus lookas do dia (olhem como me vesti hoje, olhem minhas roupas importadas, minhas maquiagens de marca), andou me desmotivando e fui vendo muito o sentido de ter criado o Expresso pra Dois ir pelo buraco.
Falando sobre isso, descobri o movimento Volta Mundo Blogueiro (vocês podem ver o button deles ali do lado - estilo links que fazíamos antigamente ♥). Assim que encontrei esse projeto, descobri que muita gente pensa como eu e também sente falta dos blogs como eram antigamente. Em uma página especial, encontrei os links dos participantes e fui clicando pra conhecer. Porém, com um pouco de tristeza, notei que o projeto não estava sendo atualizado há um tempinho.

Foi aí que a Nina (de novo, rá) me indicou um grupo de blogueiros chamado Rotaroots. Mas eu que sempre me incomodei com grupos de blogueiros no Facebook - eram todos iguais: um tópico de apresentação, um tópico de links e um monte de postagens de "meu ultimo post". Tipo uma evolução dos "passa lá no meu blog" que tanto nos incomodava lá nos primórdios dos blogs. Porém o Rotaroots é um grupo super organizado e super bacana. Existem temas, desafios e memes mensais para inspirar as pessoas a escrever nos blogs. A resgatar a essência dos seus blogs. As discussões são saudáveis, as pessoas conversam ao invés de postar seus links para receber visitas (e tem um botton rotativo de links participantes, bem a moda antiga - e também já está ali do ladinho ♥ Clica lá pra conhecer gente legal). Depois disso, algo mudou. Olhei pro meu blog com carinho e tive esperanças. E a postagem que fiz afirmando não saber o que fazer aqui, talvez fique pra trás mais rápido do que eu imaginava. Estou decidida a voltar pra cá. 
Sete anos não são sete dias, horas bolas...




Meme:  Internet Old School by Rotaroots - Conheça

Ps: Sim, tenho uma vasta coleção de gifs, me amem.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...