sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Resenha do livro "Como eu realmente..." de Fernanda Nia

Bom, conforme prometido no post do Book Haul, hoje venho falar de um livro que eu realmente sou tiete!
Vamos nessa que estou cheia de fotos e pagação de mico para contar :)


"Como eu realmente" é o nome de um dos sites de tirinhas que é um dos mais legais que eu acompanho.
Desde que eu soube que ia virar livro, fiquei empolgada para ter o meu.
Eu sou uma grande fã de HQ (ou tirinhas, chamem como quiserem) e adoro comprar livros deles.
A Fernanda Nia é uma fofa, talentosa e muito simpática. O trabalho dela é tão fofo que dá aquela vontade de saber desenhar algo além de bonecos de palitinhos. 
O Como eu realmente, eu acompanho há bastante tempo na internet: no site e no facebook.
São situações do cotidiano que, quando você lê pensa: caramba, eu também!
A personagem principal, a Niazinha, expõe em cada tirinha como as coisas realmente acontecem em sua imaginação. E olha que a imaginação dela é bem fértil. Ela é apaixonada por bolinhos, batatas e fofurices - quem nunca? A história brinca sobre o modo como as coisas acontecem e o modo como nós gostaríamos que elas acontecessem. 
Além dela, os planos de dominar o mundo e as aventuras da Srta Garrinhas (a gatinha), são imperdíveis. Quem gosta e cria gatos, com certeza vai se identificar. 

Na edição impressa, Fernanda Nia reuniu as melhores tirinhas já publicadas no site, tirinhas inéditas feitas para o livro e um bônus no final - matem-se de curiosidade porque eu não vou contar.
O livro segue o formato do site e cada tirinha vem acompanhada de comentários muitos engraçados da autora. A edição está super caprichada, a qualidade da impressão é ótima e vale cada página. Editora Nemo super de parabéns! Gente, imperdível!

Eu vou mostrar algumas fotos do livo, mas não vou fazer spoiler!
As fotos foram estrategicamente enquadradas de forma a não mostrar o conteúdo da página hahaha










Bom, como não poderia deixar de contar essa parte, o livro foi lançado aqui no Rio de Janeiro pela editora Nemo e eu fui lá pagar pau conferir o lançamento e tietar conhecer a autora.
Esse livro todo lindo, como vocês viram, eu ganhei *-*
Ciente do quanto eu gosto do trabalho da Fernanda Nia, meu namorado me levou no lançamento e me deu de presente um Como eu realmente pra chamar de meu. 
Se você gosta de lançamentos de livro (eu gosto) e quiser conferir como foi, acesse aqui o álbum de fotos do evento
Bom, pra completar o mico, obvio que fiquei na fila pra tirar foto com a moça e pegar meu autógrafo - e um brigadeiro. Um carinho dela para os fãs.
Sério gente? Tem como não amar?


Qualidade ruinzona do celular :(

Pra terminar meu momento tiete, fui convidada a dizer algumas palavras para abrir o vídeo registro do lançamento.
Eu estava roxa de vergonha, queria cavar um buraco para enfiar minha cabeça e cheguei a negar.
Mas se formou uma mini-torcida atrás de mim de "ah grava, ah vai" e eu acabei gravando.
Não falei nada demais, não consegui falar nada que prestasse e só abri mesmo a parte dos leitores falando.
Se eu falasse mais do que isso, provavelmente iria desmaiar de tanta vergonha.
O resto do pessoal foi muito mais legal no que disse. Mas como eu já comecei o post falando que tinha pagado mico, lá vai:


Agora é o momento que vocês ficam ofendidos em descobrir como sou bocó e nunca mais voltam aqui, eu sei. Não foi minha intenção, mas espero que tenham gostado até aqui e foi bom conhecer vocês - não se vão!

Se você gostou, clica aqui para saber onde comprar o seu e desculpa qualquer coisa.


Classificação: 5 Capuccininhos


Esse post foi mais sobre o lançamento do que uma resenha propriamente dita. 
Apenas observando!

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Pra quem você conta seus segredos?

Olá amiguinhos
Eu vou começar o post falando de uma coisa, pra falar de outra e fechar com uma terceira. Estão preparados? Prometo não enrolar e nem me perder, dessa vez fiz até um roteirinho. Vamos lá?



• Pra começar, vamos falar da questão número um: "confiança".

Me respondam uma coisa: vocês sabem o que é confiança, o que é confiar? Vamos no Aurélio.

Confiar é: 1. Entregar (alguma coisa) a alguém sem receio de a perder ou de sofrer dano. / 2. Revelar. / 3. Ter confiança / 4. Ter fé, ter esperança. / 5. Acreditar / 6. Entregar-se cheio de confiança.

Agora respondam: em quem você confia? A quem você se entrega?
E quando eu pergunto a quem você se entrega, não estou falando (só) sexualmente não. Mas vocês já pensaram o quanto as relações humanas são dependentes de uma entrega? 
A relação que você com seus pais, é um entrega de amor, de aceitação. Não é não? A relação que você tem com os seus amigos, é um ato de entrega. Você entrega a eles a sua amizade, a sua confiança, as suas histórias, suas experiências... E você espera que eles se entreguem a você também, certo?
Em um momento você está entregando a eles uma experiência sua, em outro você está recebendo a deles.
Entenderam essa pate? Ok? Então vamos lá.
Para quem você se entrega?

-Eu me entrego em tudo que eu faço, eu confio no meu coração!

Ok! Você pode dizer isso. Então deixa eu falar mais um pouquinho.
Eu tenho visto por ai pelas redes sociais da vida, pessoas se expondo demais, se abrindo demais, se entregando demais. E o pior: para pessoas que sequer conhecem.
Eu estava participando de um grupo no Facebook, sobre organização e o que eu menos via nesse grupo, eram dicas de organização. Acho que 99,9% do grupo eram mulheres. E 99,9% dos posts, eram coisas pessoais que na realidade não interessavam a ninguém. Coisas como "olhem essas fotos da minha casa", "hoje cozinhei isso pro meu marido", "meu marido reclama que eu não faço nada direito, o que faço?", "estou triste porque hoje blablabla", "olhem isso aqui que comprei"... Fora os inúmeros pedidos de opinião para gente desconhecida sobre coisas íntimas. 
Oi? Na moral, gente? Pra que? 
Pela carência de falar da própria vida? Porque você não faz isso com quem é realmente seu amigo e em quem você realmente pode confiar?


• Aqui entramos na questão número dois: em quem confiar.

Você entra em um grupo do Facebook com 40.000 pessoas e começa a pedir opinião sobre a sua vida para aquelas pessoas que você nunca viu antes. Então você recebe centenas de comentários sobre a sua questão. Alguns são legais, porque existem muitas pessoas legais lá. mas muitos são escrotos, e vou te dar 3 razões pra isso:
1- Algumas pessoas são escrotas
2- Algumas pessoas têm prazer em pisar, em destruir, em sacanear e esculhambar com outros
3- Você permitiu isso

Quando você chega e pergunta algo, você está abrindo espaço para que respondam. Não é óbvio? E a pessoa pode responder qualquer coisa. Inclusive coisas que você não quer ouvir. Não dá pra ser ingênua e pensar que as pessoas vão ser legais porque você é legal, porque você é bonita, porque você está sofrendo ou porque você acredita nas pessoas. Algumas vão ser escrotas com você justamente por esses (e outros) motivos. Vide os nossos queridos haters.
Eu acho que isso se resolveria, simplesmente, sabendo em quem você pode ou não confiar.
Se você quer desabafar sobre os seus problemas, não faz isso no Facebook não. Procura seus amigos de verdade. Procura sua mãe, seu pai. Procura quem se importe com você, porque sinto lhe dizer, essas pessoas não estão nos grupos do Facebook. E aí não vou nem falar só dos grupos. 
Me respondam: vocês conhecem REALMENTE todo mundo que está na sua lista de amigos do Facebook?

O meu, por exemplo, tem gente que me adiciona por causa do blog, do flickr, do site, da loja da minha mãe que eu administro, por causa do meu trabalho de fotografia, porque é fã de algum artista que eu fotografei, porque é amigo de alguma modelo que fotografei... Enfim.
Eu que não vou chegar no meu Facebook e contar as minhas angústias, porque pra mim o Facebook é uma diversão, é um meio de manter contatos profissionais, de manter contato com amigos, de ver ideias bacanas nos grupos e compartilhar meu trabalho. Você já analisou quem está na sua lista de amigos do Facebook? Você sabe quem são seus amigos mesmo? Tipo MESMO?
Agora, se você não sabe em quem você pode realmente confiar, vamos fazer uma análise?
Vamos!

Eu vejo muitas pessoas dizendo "eu te amo" para pessoas que não amam.
Eu vejo muitas pessoas chamando de "amigos", gente que não conhecem direito.
Eu vejo muita gente contando segredos, pra quem não sabe se vai guardar, pra quem não sabe se pode realmente confiar, se conhece realmente essa pessoa.
Aí acontecem coisas do tipo: você conta uma ideia genial que teve, e vê a sua ideia sendo executada por outra pessoa. Você fala algo sobre alguém e a pessoa acaba sabendo o que você disse. Você conta o quanto acha um carinha sensacional e acaba vendo ele com a pessoa pra quem você confiou.
Isso pra pegar exemplos bem básicos, a coisa pode ser muito pior.


• Agora vamos entrar na terceira questão que vim propor: decepção.

A confiança que você tem em alguém, pode ser a sua ruína. A confiança é uma força e uma fraqueza ao mesmo tempo.
Quando você confia em alguém que confia em você, a relação é forte. É muito bom saber que você pode confiar, pode contar com aquela pessoa. E é muito legal quando você sente que aquela pessoa também confia em você. Mas quando a relação é unilateral, você está ali, entregando seu coração para a pessoa errada. Quando você se entrega para alguém, você fica vulnerável àquela pessoa. Você fica exposto a ela. Você corre o grande risco de ter sua confiança quebrada e se decepcionar. E não tem nada pior do que se decepcionar com uma pessoa que você confia.
Confiança quebrada é a maior decepção que você pode ter.

Eu já ouvi muita gente dizer "confie apenas em si mesmo". Mas a verdade é que nem a gente confia totalmente em nós mesmos. O ser humano é inseguro, precisa se reafirmar às vezes. Precisa ouvir opiniões contrárias. Precisa se contradizer. E além de tudo, o ser humano tem tendência a se auto-sabotar.
Que atire a primeira pedra quem nunca!
A gente vai amadurecendo e aprendendo a parar com isso, mas é humano e comum agir assim.
Então meus amores, se a gente não confia nem na gente 100%, porque entregamos nossa confiança a qualquer um como se fosse doce em dia de Cosme e Damião? 

A primeira coisa que você precisa fazer para evitar se decepcionar com as pessoas, é começar a confiar mais em si mesmo. A acreditar mais em si mesmo. 
Depois você precisa conhecer melhor as pessoas que você confia e ver se você pode mesmo confiar nelas.
E nem assim você vai estar livre de ter sua confiança quebrada e se decepcionar.
isso é importante dizer: você nunca estará livre de se decepcionar, mas precisa saber o que você vai fazer e como vai agir quando acontecer. (mas isso é outro papo)


• Agora que já falamos sobre confiança e em quem confiar, vamos falar sobre a quarta e penúltima questão: bullying virtual / cyber bullying.

Esse tópico reúne tudo que eu já falei até agora, mas principalmente que: você não sabe quem são as pessoas por trás dos perfis das redes sociais e que muitas delas são realmente escrotas.
Aqui no blog mesmo, já teve gente que vinha pelo simples prazer de me atacar. Já teve gente no twitter que foi me xingar por não concordar com algo que eu disse. Já teve gente no Flickr me xingando pra criticar alguma fotografia que postei. Já teve gente me dizendo que eu sou feia e devia parar de fotografar. Já teve gente (vejam só) me difamando como plagiadora quando na verdade o texto original era (ta dááá) MEU!
E isso tudo com assuntos, sei lá, triviais. Assuntos que jamais justificariam um ataque gratuito.
Eu gosto muito de internet, gosto muito de redes sociais e adoro blogs.
Eu gosto de compartilhar minhas opiniões aqui, gosto de compartilhar coisas legais nas minhas redes sociais e me sinto feliz com isso. Me sinto feliz quando recebo respostas positivas, quando as pessoas gostam de alguma ideia minha ou chegam para somar ideias e trocar experiencias bacanas. Isso é muito legal. Mas como tudo na vida, tem dois lados.
A internet é o local perfeito para a reprodução dessa espécie esquisita que chamamos de Trolls ou Haters. Que são pessoas extremamente insatisfeitas com a alegria alheia. Pessoas infelizes que se sentem poderosas quando protegidas pelo anonimato.
Tem gente que faz questão de ser desagradável, de espalhar comentários maldosos sem se importar o que a pessoa que está lendo sente.


A imagem acima ilustra muito bem o que estamos falando aqui. É de uma artista Kate Leth e se chama "Don't be a Dick" e você pode ver o link original e conhecer o trabalho da artista clicando aqui.
Eu até vi uma versão traduzida, mas o português estava errado e eu preferi postar a original.
Pra quem não entendeu muito bem, a imagem diz o seguinte:
Lembre-se:
As coisas que você vê na internet são feitas por pessoas.
O artista do outro lado da tela... É uma pessoa.
Quando você escreve um comentário de merda (por qualquer razão) sobre uma arte...
Você está magoando um a pessoa real, como você!
Tem cretinos o suficiente na internet. Não seja mais um.
Eu nunca vou entender, porque as pessoas se sentem bem em ofender e magoar as outras. Em atacar, desmerecer, humilhar gratuitamente gente que sequer conhece.
Já experimentaram ler, por exemplo, comentários nos canais do youtube?
Eu acompanho vários, de várias blogueiras, vlogers e eu adoro, mesmo, muita gente que faz videos no youtube. E eu tenho sempre um mantra de "não leia os comentários, jamais leia os comentários". Porque é assim: ahh sua puta, sua gorda, sua escrota. E por ai vai.
É clichê falar isso, mas as pessoas ficam perdendo tempo para ofender as outras ao invés de cuidarem de suas próprias vidas.
Como eu disse anteriormente, a internet é o local perfeito para a ação dos Trolls, por ser, justamente uma atitude covarde. A pessoa se esconde no anonimato, num personagem. E se sente livre para fazer o que quiser. 
A tirinha abaixo, do site Malvados, ilustra isso muito bem: 



• Com base nisso, vamos entrar na quinta e última questão desse blog e motivo de eu ter escrito tudo isso: Secret

Secret é um aplicativo onde o usuário pode contar "segredos" de forma anônima. Esse segredo pode ser visto e comentado por qualquer pessoa, também de forma anônima.
O aplicativo forma a sua rede de contatos através da sua lista de amigos no Facebook (e contatos no celular também, segundo li). Quando alguém posta um "segredo", toda a lista recebe um alerta, porém, sem a identidade do autor.
Com isso você vê o que um possível amigo esta confessando. Ou um amigo do seu amigo.
Quem acha que isso vai dar merda levanta a mão! Não precisa, porque já deu!
Está rolando processo e tudo, não vou me aprofundar - usem o Google. Mas muita gente está aproveitando o anonimato para difamar, atacar, ofender e etc. 
O anonimato favorece o ato. Tenho uma amiga que saiu do Secret depois de ver uma postagem de alguém mostrando foto de uma menina nua, aparentando ser menor de idade.
Conseguem perceber o quento isso é sério? 
Conseguem perceber que esse aplicativo é uma ótima oportunidade para os trolls e haters praticarem seu cyberbullying?

Essa semana recebi várias vezes o convite para o Secret. 

-Já fez um Secret?
-Não
-Faz lá, tô viciado
-Lembra que você criticou aquele outro app Lulu?
-Mas esse não tem nada a ver
-Sério? Um app anônimo pras pessoas falarem o que quiserem sem o outro saber quem é você?
-Mas não é de avaliação sexual
-Mas vai acabar sendo, não dou uma semana

-Você já viu esse Secret?
-Já
-Você está lá?
-Não
-Eu tô, é muito engraçado, falam cada coisa...
-Justamente por isso não estou


-Você está no Secret?
-Não
-Poxa, então baixa lá, é muito legal, tem no android e ios
-Ahh não me interessa não
-Como não? É um app anônimo pras pessoas contarem segredos lá. Muito engraçado, só falam merda.
-...


Alguns de vocês vão dizer: ahhh mas tem pessoas legais, é engraçado, tem umas confissões que eu ri muito. Ok, eu acredito. Eu vi algumas numa página do facebook que posta as mais engraçadas. Mas eu não me sinto a vontade de participar de algo assim. Eu simplesmente acho que eu não preciso me sujeitar a isso.
Pra que vou entrar num trem desses, minha gente?

Eu prefiro contar os meus segredos para:
1- Alguém que eu confie.
2- Alguém que eu possa realmente confiar
3- Alguém que não vai me decepcionar
4- Alguém que não vai me atacar, me ofender ou me trollar
5- Alguém que não precise se esconder atras de um anonimato de aplicativo para dar sua opinião.
E aí estão, cinco tópicos para refletir.

Desculpem pelo texto imenso, eu realmente tentei resumir e não soube como!
E se você discorda de algum ponto, deixe aqui seu comentário e vamos conversar. A menos que você seja um troll, porque aí a minha melhor resposta vai ser te ignorar!

Tchau amiguinhos, beijo nas kiança!

sábado, 9 de agosto de 2014

Book Haul - O primeiro

Melhor edição ever

Eu ando muito indisciplinada para ler. Andei colocando a culpa na rotina, na falta de tempo, na faculdade, no universo... Em qualquer coisa que me aliviasse a culpa por me sentir uma farsa, como havia me sentindo.
Quem me conhece pelo menos um pouquinho, sabe que eu sou a louca dos livros. No meu quarto tem livros para todo lado. Eu sempre tive a "fama" de ser devoradora de livros. Tenho uma amiga que me chama de Liesel por causa do título do livro do Zusak (A Menina que roubava livros ♥).
Pois bem, essa história de me afastar da leitura andou me deixando bem chateada, mas quando eu chegava em casa eu realmente só queria dormir tamanho meu cansaço com a rotina.
Bom, a rotina mudou completamente (ou quase), pelo menos por um período (eu acho). E com essa mudança (ta dááá) voltei pros livros!


Pra começar, voltei a ler um livro ("Um Dia" do David Nicholls) que estava abandonado desde o penúltimo período de provas na faculdade. Estou quase terminando ele agora e já estou doida para começar outro!
Por conta disso e também pra ver se eu tomo vergonha na miacara, resolvi fazer essa parada de Book Haul.
Nem sei se estou fazendo certo, mas bora lá.
Pra quem anda perdido nesse estrangeirismo que tem um monte de blogs fazendo, trata-se de quando a pessoa apresenta no blog ou canal, os últimos livros que ganhou, comprou e/ou pretende ler nos próximos dias. Ou meses. Pra mim, isso vai ser complicado e pode até soar meio fake, porque eu tenho tendências a não seguir ordens pré-estabelecidas. Eu simplesmente olho pros livros e deixo que eles me escolham. E constantemente, "furo a fila" mental (ou escrita) que faço dos meus livros-não-lidos (tenho vários).
Mas quero fazer desse Book Haul um guia bacana, uma listinha de tarefas. 
Tipo as metas de leitura do Skoob. (falando nisso preciso atualizar o meu - você já me segue lá?)
Eu achava que isso era parada de vloger, que só o povo dos youtubes da vida que faziam e tal. 
Mas olha: estava errada. E se não tiver também, dane-se. 
Vou fazer aqui mesmo e quem não gostou vem cá e me filma!

Vou mostrar os cinco últimos livros que eu ganhei/comprei. Não estão na ordem de leitura, fila nem nada disso (e não estão na ordem de novidades, porque comprei/ganhei alguns que não vou ler agora - ou porque já li, ou porque a fila ta grande). Mas vamos lá que o post ta ficando enorme.


01 - Ligue os pontos. Poemas de amor e big bang -  Gregório Duvivier


Ganhei esse livro da minha querida amiga Rachel Bardy (beijo Rachel) e ainda não li. Não todo, li umas partes. Não sei vocês, mas eu tenho mania de ler livros de poesia aleatoriamente. Abro numa página qualquer, leio, guardo. Como se poesia fosse uma dose diária necessária, sabem? Sempre li a maioria dos livros de poesias assim. Mas alguns eu leio decentemente, direitinho. Vou dar uma atenção especial ao livro do Gregório em breve. Ele merece, está muito bonito (pelo menos o que li até agora estava ♥).


02 - A Estrela de Prata - Jeannette Walls


Eu sou A-P-A-I-X-O-N-A-D-A pela Jeannette Walls. Com o exagero das maiúsculas e separação de letras e tudo. Eu AMO o outro livro dela, O Castelo de Vidro. Tinha até uma resenha dele que comecei a escrever abandonada aqui nos rascunhos do blog (acho que posso tentar terminar e postar), porque foi um livro que eu amei muito! Passei muito tempo falando dele, indicando, comentando e repetindo sobre o livro. Acho que meus amigos não me aguentavam mais. E sempre que eu leio um livro de um autor, fico na loucura de ler outro (além de stalkear o autor por um tempo).


Zoom :)
É sobre duas irmãs que são abandonadas pela mãe, aspirante a cantora, que um dia deixa dinheiro para elas sobreviverem sozinhas por um mês e some. Quem já leu O castelo de Vidro (yay) sente um revival com essa descrição. Famílias não convencionais, abandono de incapaz, a relação de crianças que precisam crescer antes do que deviam para sobreviver... Acredito que o livro tenha uma mensagem parecida com o anterior, de enfrentar o sofrimento e extrair beleza da dor. Quero ler ou quero ler?
Quando vi esse livro da Jeannette Walls, não quis nem saber sobre o que era, peguei e trouxe ♥


03- Guia politicamente incorreto da história do Brasil -  Leandro Narloch


O meu professor de uma das matérias que envolvem história, sugeriu que nós da turma, lêssemos algum livro sobre a história do Brasil. Eu escolhi esse. Acho que não é exatamente a sugestão que ele deu, mas eu sou dessas :) É um livro provocativo, acredito que seja engraçado, e propõe um ponto de vista diferente sobre os personagens da história do Brasil. Parece bem interessante!


04- Resposta Certa - David Nicholls


Bom, eu ainda não sei se gostei ou não do "Um dia", que como já disse ali em cima, é o livro que estou lendo. Mas é aquela mesma coisa de ler o mesmo autor outra vez. Esse livro eu ganhei/adotei na Feira da Gratidão (vou falar sobre a feira em outra oportunidade) e confesso que estou curiosa com ele.
É sobre um rapaz que vai parar num programa de perguntas e respostas na televisão. Tipo "Quem quer ser um milionário", maybe. Claro que não é só isso. Claro que tem uma mulher envolvida. E claro que ele quer ganhar o jogo para conquistar a atenção da moça. Tem que ter, tem que ter um romancinho. Veremos.


05- O Salmão da dúvida - Douglas Adams


Provavelmente vai ser o próximo que vou ler, por um motivo apenas: Douglas Adams.
Eu meio que surtei quando vi esse livro na livraria. Olhei de longe e achei que era um da coleção do Guia do Mochileiro das Galáxias, que eu sou fã. Quando fui chegando perto, estranhei a capa e pensei: UÉ?
Pois esse livro trata-se de um lançamento inesperado (pelo menos por mim, não sei os mais antenados aí) porque pensa bem: há quantos anos o Douglas Adams morreu mesmo? Como assim ele está escrevendo livro? É fake? E agora quem poderá nos ajudar (o chapolim colorado)? A resposta ainda é 42?

Zoom :)
Trata-se de um apanhado de textos que foram encontrados no computador de Adams depois de sua morte. 
São histórias, resenhas, artigos, ensaios e dez capítulos do livro em que ele estava escrevendo quando partiu. Ah, e tem um conto protagonizado pelo Zaphod Beeblebrox - Mochileiros entenderão.
Como eu poderia não trazer esse livro? ♥


É isso pessoal. Esses são meus próximos objetivos de leitura, desculpem se ficou muito longo mas não achei onde comprar a pílula da síntese ainda. 

E vai ter resenha do Como eu realmente, da Fernanda Nia - porque foi o último que eu realmente li do começo ao fim numa tacada só! Ele ia entrar na lista, mas não deu tempo. Vou aproveitar para contar como foi o lançamento do livro dela, lá na Livraria da Travessa. Com vídeo e tudo! Aguardem! (na verdade, acho que não vou mostrar o vídeo não, que vergonha)
Mas enfim, aguardem!

Trailler da próxima resenha - haha


Ps: todas as fotografias feitas por mim. Vou tentar fazer isso daqui pra frente com mais frequência.

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Lugares que eu quero conhecer

Oi pessoal!

O Mês de Julho foi o mês de férias para a maioria das pessoas. E junto com a alegria de tirar férias, vem os planos de viajar e conhecer lugares novos. Bom, o mês está acabando e eu vim aqui listar alguns lugares para conhecer nas próximas férias - ou em algum feriado prolongado.


Mas é claro que eu não poderia responder esse meme como uma pessoa normal, porque eu não sou normal e os lugares que eu quero conhecer, menos ainda. (numerados por ordem de sanidade - ou não)


10 - Paris

Imagem encontrada no Tumblr

Paris é um sonho dourado *-*. Apenas. Fim.
São milhares de livros, filmes e seriados com esse cenário e eu me imagino em cada um dos personagens que já conheci e que já passearam em Paris. Falando com sotaque, biquinho e tudo o mais. Eu quero e acabou! 
Ps: Não me leve a sério, me leve á Paris!


09 - Londres


Imagem encontrada no Tumblr

Pelos mesmo motivos de Paris. São milhares de livros, filmes e motivos. Quero dez mil fotos lá. Quero andar nos ônibus vermelhos, quero ir, especialmente em  Notting Hill, porque, gente, é muito amor! Mas também quero ir no museu Sherlock Holmes na Baker Street, no studio Warner para o The Making of Harry Potter, na Oxford Street gastar todo meu dinheiro de rapaz trabalhador, na London Eye (de longe, porque tenho medo), no Big Ben, ver a troca da guarda no palácio de Buckingham... Olha, a lista NÃO vai acabar se eu começar a falar!


08 - País de Gales

Daqui

Na costa do país de Gales, existem ilhas. E numa dessas ilhas, existe um orfanato fantástico que eu daria tudo para conhecer. A imagem acima é a que mais se aproxima do que imaginei quando li O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares (resenha aqui) fiquei alucinada para fazer que nem o personagem principal e ir lá explorar!


07 - Barcelona

Encontrada no site Iberic Tour

Barcelona é o palco preferido para o Carlos Ruiz Zafón escrever suas histórias. A história do livro "A Sombra do Vento" se passa em Barcelona e desde que eu li (você pode ler a resenha aqui) fiquei apaixonada e sonhando em conhecer. Principalmente o Bairro Gótico. Fico imaginando as centenas de fotos incríveis que farei lá ♥ 
Claro, alimento na mente insana que vou encontrar o Cemitério dos Livros Esquecidos por lá. E para quem não leu, eu imagino um lugar mais ou menos assim (só que com menos drama):


dos meus arquivos, desconheço autoria


06 - Storybroke

Carol Camanho

Não quero explicar esse, mas como meu terapeuta não me segue (até porque esse adorável senhor não existe) ta permitido dizer que: como não querer conhecer um lugar onde moram a Evil Queen, Snow White, Capitão Hook, Bela, Robin Hood e tantos outros? E de quebra, com a chance de cair na Floresta Encantada se algum portal for aberto? *-*
No seriado Once Upon a Time, Storybroke é uma cidadezinha linda e vintage, na costa nordeste da Nova Inglaterra. Fora do seriado, fica no Canadá, em Steveston Village.
EXISTE! Óbvio que eu quero ir lá. A Carol Camanho do blog Flickablog.com mora em Vancouver e foi lá com o marido conhecer. Ela fez várias fotos que eu também quero fazer (haha) E, apesar de "inveja" ser uma palavra muito feia, não tenho como usar outra. Me roí de inveja até os cabelos  hahahaha


05 - Neverland


Reprodução


Não, mentira, Neverland não queria não.

Por motivos de: eu não quero ser criança pra sempre, estou ok com essa questão e Once Upon a Time mostrou uma versão não tão convidativa de Neverland e eu não tô afim de arriscar.


04 - Wonderland


Arquivo pessoal / Foto-Divulgação

Aí sim! Não precisa nem de passaporte ou visto, a viagem é feita através da toca de um coelho.
Wonderland é o lugar mais no sense que eu consigo pensar - como não querer conhecer um lugar no sense?
Comida típica: tem pra crescer e encolher. Fora que é sempre hora do chá!
Cogumelos gigantes, rosas que falam, um Gato risonho e um Chapeleiro Louco?
Os moradores locais são todos loucos e louco atrai louco: as melhores pessoas são!
Obvio que eu quero ir pra lá!


03 - Cidade de Esmeraldas

Reprodução

A Cidade de Esmeraldas, fica em Oz. Essa eu não precisaria nem de um mapa. Não tem erro, é só seguir a estrada de tijolos amarelos *-*


02 - Nárnia


Arquivo pessoal / Foto - Divulgação


O primeiro que me chamar de lunática apanha! É claro que Nárnia existe. Nárnia acontece! Eu vou pra lá um dia e juro que não vou ser besta de voltar ♥ Quero uma passagem só de ida!
E se você não acredita, sinto muito, mas você nunca conhecerá Nárnia *-*


01 - A Fantástica Fábrica de Chocolates


Reprodução

Uma pausa no "pense magro" para pensar gordo, muito gordo: quem não queria conhecer esse lugar maravilhoso? Eu queria MORAR na fábrica Wonka. Vou declamar uma poesia, prestem atenção: CACHOEIRA-DE-CHOCOLATE. Se emocionaram? Eu sempre me emociono quando escuto isso.




Este post faz parte da blogagem coletiva do Rotaroots.
Quer participar?
Conheça o nosso grupo no Facebook
e inscreva-se no Rotation.

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Em nome dos Imortais



Eu não queria estar escrevendo isso. Não queria mesmo. Julho de 2014 tem sido um mês difícil e cruel.

Eu ia escrever sobre João Ubaldo e antes que começasse fui surpreendida pela morte de Rubem Alves.
Fiquei tão triste que não quis mais escrever nada. E então Ariano Suassuna apronta uma dessas...
Desde que soube a noticia ate agora, estou meio sem acreditar.
Não vou falar da importância desses três caras, nem de suas obras e nem o quanto a literatura perde com a partida deles. Eu me reservo apenas ao direito de ficar triste.
Cada leitor tem em seu autor preferido um amigo, mesmo que nunca tenha sequer visto ou esbarrado com ele em toda a vida.
"Eu gosto muito de rir e gosto de fazer rir. E nisso sinto que o povo brasileiro é meu companheiro." 
Ariano Suassuna
Eu tinha esperanças de um dia, em uma Bienal qualquer, esbarrar com Ariano e pedir a ele um rabisco em um dos meus livros. Dele, mas meus. Queria ter a oportunidade de dizer o quanto sua obra me fez feliz, o quanto me diverti com seus personagens, o quanto gostei um pouco mais dele a cada declaração ou entrevista que via.

Quanto ao João, não fomos grandes amigos  nessa vida. Confesso que mal o li. Mas não deixo de sentir sua perda por conta disso. Quando um escritor parte, ficamos órfãos do que ele ainda teria a escrever. Quantas ideias, quantos personagens e romances partem junto a ele? Jamais saberemos. Isso multiplica a sensação de perda. Dói fundo na alma de um leitor.
Mas e Rubem? Rubem, sempre tão querido. Sua ausência é uma lástima irreparável, Rubem! Sempre tão carinhoso em seu falar, tão terno e tão humano... O mundo precisa de mais mineirinhos como ele. Como todo bom mineiro, era quietinho, na sua, sem afetações e alardes.
Dizia que chegou onde chegou porque tudo que planejou deu errado, vejam só!
Foi com Rubem que aprendi uma das lições que me fizeram crescer muito como pessoa: "Ostra feliz não faz pérola". Acho linda a comparação que Rubem faz com a formação da pérola, para nos explicar que é a partir do sofrimento que crescemos. A pérola é um parasita externo ou um grão de areia que invade e machuca a ostra. Para se defender, a ostra o envolve com uma substância chamada madrepérola, que cristaliza-se e isola o invasor dentro de uma bolota rígida. A ostra, quando produz uma pérola, na verdade está lidando com um incômodo. Desejei a sabedoria de transformar os meus incômodos em pérolas também.
"A saudade é a nossa alma dizendo para onde ela quer voltar."
Rubem Alves
Agora, você Ariano... não consigo me conformar com sua partida.
Ainda não consegui ler A Pedra do Reino por completo, mas li seu Auto da Compadecida umas três vezes. 
E nem sei dizer quantas vezes revi a adaptação para o cinema.
Você disse que não trocaria seu "oxente" pelo "ok" de ninguém e nós também não trocaremos, mestre. Se eu posso deixar aqui alguma homenagem, é em favor do seu legado.

Tem tanta gente que em nada nos acrescenta, que pelo contrário, nos subtrai... Tanta gente contribuindo para causas pequenas, tanta bobagem, tanta desgraça...
Deus, às vezes, nos presenteia com pessoas que deixam o mundo melhor. Pessoas que trazem, sabe-se-lá de onde, sua sabedoria e alegria para dividir com o resto de nós.
Gente como Rubem que trazia sempre uma palavra de conforto ou como João que com sua baianice nos deliciava com seu humor. Gente como Ariano, que achava a tarefa de viver dura e fascinante.
Gente que cisma em ser uma luz no meio de tantas trevas, gente que teima que a vida pode ser boa, pode ser melhor e pode ter poesia. Gente que fala o que sente para que a gente entenda o que sente também. Não importa se sentimos igual ou diferente.
Tem gente, que nunca vimos na vida (e nunca veremos), mas que sentimos que nos abraçam a alma.
Tem gente que nasce para ser imortal, embora com essa mania de partir antes do que deviam. 
Uma vez, aprendi que só morre quem não deixa saudades. Muito mais do que saudades, João, Rubem e Ariano deixam suas palavras, sua arte e genialidade para nos confortar da saudade.
Escritores não morrem nunca!
Eis aqui nosso consolo e minha singela homenagem.

"Cumpriu sua sentença e encontrou-se com o único mal irremediável, aquilo que é a marca de nosso estranho destino sobre a terra, aquele fato sem explicação que iguala tudo o que é vivo num só rebanho de condenados, porque tudo o que é vivo morre."
(Auto da Compadecida - Ariano Suassuna)

Para João, Rubem e Ariano
Vão em paz, mestres imortais!

terça-feira, 15 de julho de 2014

7 Anos de Expresso

Encontrada no site Wedinator
Então que no dia 12 de Julho foi aniversário do blog, e
Caramba... 7 anos! 

Não vou me alongar no post, porque já falei muito sobre o blog aqui.
Estou satisfeita de momentos nostálgicos por enquanto.
Hoje eu vim só comemorar e é claro, agradecer a vocês que continuam aqui ♥


 Obrigada por tudo, pessoal ♥







Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...